21/06/18 | 17:36
Para se adequar ao eSocial, Prefeitura vai realizar censo para atualização cadastral de servidores
Por Hariele Quara
Assessoria de Comunicação / Semad

Para atender às exigências do eSocial, programa do Governo Federal que vai unificar o envio de informações referentes aos trabalhadores, como uma folha de pagamento digital, a Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) vai realizar, até o final de 2018, um censo para atualização cadastral dos servidores municipais.

O eSocial deve entrar em vigência já a partir de janeiro de 2019 para órgãos públicos, aponta o secretário da Semad, Lucas Bandiera, que administra em nível sistêmico a gestão de pessoas do município. “Estamos usando a plataforma de testes do sistema e realizando todas as adequações necessárias para que a Prefeitura atenda o que exige o Governo Federal”, ressalta.

A proposta de realização do censo para servidores ativos e inativos foi anunciada nesta quarta-feira, 20/6, durante reunião com agentes de recursos humanos das secretarias municipais para disseminar as mudanças anunciadas durante o 1º Workshop eSocial para Órgãos Públicos, realizado de 13 a 15/6, em Brasília.

A diretora de Gestão de Pessoas da Semad, Zulena Matos, destaca que a Secretaria, que coordena a gestão de pessoas e a implantação do eSocial na Prefeitura, enviou a Brasília a chefe de Acompanhamento de Pessoal e Gestão de Benefícios, Vanessa Carneiro, e chefe de Banco de Dados, Ana Márcia Aguiar, para receberem as atualizações e disseminarem entre os representantes de pessoal das demais secretarias.

Segundo Vanessa Carneiro, esses eventos de nível nacional permitem debater as exigências do sistema, para que seja aperfeiçoado e atenda as especificidades de órgãos públicos municipais. “Uma das exigências é que tenhamos uma base cadastral totalmente limpa com uma série de informações que antes nós não exigíamos. Quando admitimos um portador de deficiência, por exemplo, no sistema anterior, cadastramos apenas como deficiente; para o eSocial é preciso especificar qual é a deficiência”, explica.

Censo

Para a implantação do eSocial, a Prefeitura de Manaus deve adequar o banco de dados, uma vez que serão necessárias informações ainda mais detalhadas para inserir no sistema. A chefe de Banco de Dados da Semad, Ana Márcia Aguiar, destaca que não é cultura do servidor público manter seus dados atualizados.

“Às vezes o servidor muda de endereço, ou de estado civil e atualiza o nome, mas não atualiza seu cadastro, criando um conflito entre a base de dados e a Receita Federal, porque os dados todos passarão por cruzamento de informações no eSocial”, comenta Ana Márcia.