01/09/17 | 09:12
Gestores definem prioridades de atuação da Prefeitura

Atendendo determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, secretários, subsecretários e comitês de planejamento definiram, nesta quinta-feira, 31/8, o mapa estratégico e as prioridades de gestão da Prefeitura de Manaus para os próximos 12 anos no 4º Workshop Manaus 2030.

Sob a coordenação das secretarias de Administração, Planejamento e Gestão (Semad) e de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), o processo de construção do Planejamento Estratégico da Prefeitura para os próximos 12 anos envolve a participação de todas as secretarias municipais, com a consultoria do Instituto Áquila.

A secretária da Semad, Luiza Bessa Rebelo, destaca que o trabalho de planejamento da Prefeitura está avançando e culminou, neste 4º workshop, na definição de um mapa estratégico, que consolida e discrimina as tarefas que vão ser desenvolvidas dentro de cada área.

“Construímos inicialmente missão, visão e valores, depois os eixos estratégicos a partir dos objetivos estratégicos do governo, da gestão do prefeito Arthur para estes quatro anos. A partir desses eixos foram delineados sete eixos estratégicos, que foram desdobrados em objetivos estratégicos. E para que esses objetivos sejam executados e cumpridos, cria-se uma ferramenta de gestão, o mapa estratégico”, explica.

A ferramenta que nos auxilia é o mapa estratégico. Balanceamos as grandes metas desde quanto temos financeiramente, os processos para atingir os objetivos dentro de cada eixo.

Ferramenta oriunda de uma metodologia chamada BSB (Balanced Scorecard), segundo a secretária, o mapa vai dizer, dentro de cada eixo estratégico, quais são as grandes iniciativas para atingir o que se delineou como objetivo em cada eixo, ou seja, o mapa, e vai destacar para cada secretaria em que área deve agir conforme seu escopo de atuação.

Responsabilidade fiscal

O Projeto Manaus 2030, que envolve a construção de um Planejamento Estratégico para os próximos 12 anos, que nortearão três Planos Plurianuais (PPAs) do município, culminará, em setembro, no 5º Workshop, quando cada órgão, dentro do seu escopo de atuação, vai casar as ações previstas com o orçamento disponível, definindo prioridades.

“Não temos orçamento para tudo, logo, é preciso priorizar iniciativas dentro de cada programa de acordo com o orçamento, fundamentando a construção do Plano Plurianual 2018-2021”, ressalta Luiza Bessa Rebelo.

Segundo frisa a secretária, por meio de uma metodologia bem didática, todas as secretarias poderão delinear suas ações de acordo com seu orçamento, de tal forma que todos possam realizar as ações previstas, dentro do orçamento disponível. “O prefeito vem destacando sistematicamente a questão da responsabilidade fiscal. Segundo essa orientação, buscamos fazer o melhor otimizando o orçamento que se tem”, ressalta.

O projeto Manaus 2030 envolve a construção dos próximos três PPAs, definindo prioridades para 2018-2021, 2022-2225 e 2026-2030. “A Prefeitura trabalha e projeta o futuro pensando a cidade num longo prazo, dentro do orçamento que cidade tem, contemplando os recursos do tesouro, de captação de organismos internos, parcerias público-privadas, isto é, trabalhando com o concreto, com os pés no chão”, finaliza Luiza Bessa Rebelo.

— — —

Texto: Hariele Quara/Semad